Lá dentro

11 09 2009

Entreguei as pétalas.

A cor-de-seda plumava-se

No ar e nos olhos.

 

Em cada uma a oferta

Do belo e do singelo,

Emoção respingando a tristeza de não saber.

 

Insuficiência…

Ciência… su fiz-me.

Angústia de não ser substância o bastante.

 

Água, mas diz o sertão que racha o chão.

Mel, mas dizem as mãos que lhes faltam ossos…

 

Sem explicar a sede,

Sem sanar,

Distribuo as poucas gotas e o desejo de perfumar.

 

Lágrimas…

Justifico meus miligramas

E tento fugir da minha falta.

 

Errei por ser tão pouco?

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: